Home / Vaga de emprego / Casas Bahia abre vaga Vendedor Interno

Casas Bahia abre vaga Vendedor Interno

Casas Bahia abre vaga Vendedor Interno

Salario: A combinar

O GPA é uma empresa do Grupo Casino, um dos líderes mundiais no varejo de alimentos. Somos a maior empresa de varejo da América Latina, com mais de 2.100 pontos de venda, e o maior empregador privado do Brasil, com mais de 140 mil colaboradores. Nós somos uma empresa inclusiva e que trabalha com a Diversidade, não realizando assim, nenhum tipo de discriminação, seja por origem social ou étnica, gênero, deficiência, orientação sexual, idade, estado civil, etnia, nação, raça, atividades sindicais ou religião.

Nível hierárquico
Operacional

Descrição da oportunidade
Atender os clientes apresentando os produtos, serviços, preços, condições de pagamentos, interagir com o estoque e logística verificando a disponibilidade dos mesmos para concluir a venda,emitir etiquetas de codificação destes, verificar a necessidade de reposição dos mesmos a fim de atender as necessidades dos clientes

Formação mínima

Ensino Médio Completo/Ensino Médio Completo

Em 1952, quando Samuel Klein chegou em São Paulo no Brasil, Juscelino Kubitschek tinha autorizado as automobilísticas multinacionais a instalarem no estado suas montadoras e, para isso, precisava de mão de obra. Como essa mão de obra veio do Norte e Nordeste do país — conhecidas pelo clima muito quente — teriam muitas dificuldades para enfrentar a terra da garoa e suas baixas temperaturas. Foi aí que Samuel enxergou um grande negócio: vender cobertores a essa população de baixa renda. Em cinco anos, conseguiu capital para comprar uma loja e batizou-a Casas Bahia.[2] Era a sua homenagem aos seus clientes, em sua maioria retirantes do Nordeste vindo tentar a sorte na região. Entre as suas principais concorrentes estavam as Casas Pernambucanas, presentes em São Paulo desde 1910. Klein aumentou a variedade de produtos e começou a trabalhar com móveis, colchões, entre outros itens. A clientela não demorou a frequentar a loja para pagar suas prestações e adquirir novas mercadorias. Era o início de um império que foi conquistando cada vez mais clientes.Com mais de 60 anos de atuação no mercado nacional e 57.500 funcionários a Casas Bahia é hoje uma rede de lojas voltada para a venda de móveis e eletrodomésticos no varejo com foco nas nas classes C, D e E sendo 26,3 milhões de clientes cadastrados.

A marca Casas Bahia, constantemente citada em pesquisas de lembrança de marca como a mais presente na mente dos brasileiros, abrange, por dia, cerca 54.1 milhões de domicílios com TV, anunciando em sete emissoras de TV aberta e, também, em 11 canais por assinatura.

No dia 4 de dezembro de 2009 o GPA anunciou a compra das Casas Bahia, tornando-se uma parte integrante do atualmente maior grupo varejista brasileiro

As Casas Bahia consegue seu lucro através de maiores parcelas, com o objetivo de deixar o cliente com mais formas e facilidade para pagar, fato que ajuda bastante consumidores de menores classes sociais.

Em novembro de 2004 firmou parceria com o banco Bradesco. Até então, as Casas Bahia financiavam cerca de 80% de suas vendas, o que significava na época uma carteira de crédito de R$ 4,5 bilhões, considerando as vendas de R$ 6 bilhões de 2003 (em 2006 já eram mais de R$ 11 bilhões). A maior parte da carteira era financiada com recursos próprios e apenas R$ 1 bilhão eram captados no mercado financeiro.

O funding passou então a receber o reforço do Bradesco: pelo acordo, o banco passou a assumir o financiamento de pelo menos R$ 100 milhões em vendas por mês. Isso significou na época um aumento quase imediato de 20% nas operações de financiamento ao consumo do próprio banco, que já haviam saltado 38% entre setembro de 2003 e setembro de 2004, atingindo R$ 15,1 bilhões.

Sob o ponto de vista da gestão financeira, é interessante observar que os recursos custariam inicialmente um pouco mais do que a taxa do Certificado de Depósito Interfinanceiro – CDI, e o spread que passou a ser cobrado no financiamento das vendas será embolsado pela Casas Bahia. Em uma segunda etapa, a partir de 2005, o Bradesco passou a vender produtos financeiros aos clientes da Casas Bahia, como cartões e seguros, com a instalação de quiosques na rede de varejo; isto pode teoricamente ser bastante vantajoso para o grupo Bradesco sob o ponto de visto estratégico, em termos de ocupação de espaços mercadológicos (notadamente em crédito e cartões) com pouco ou nenhum investimento adicional em tecnologia, pontos de venda e recursos humanos e, claro, também podendo trazer vantagens de médio prazo para o grupo varejista.

Casas Bahia no município de Avaré, em São Paulo.

Ao início de 2006, a Casas Bahia, que não exige comprovante de renda para abertura de crediário, perdiam em torno de 10% das vendas pagas com o antigo e tradicional crédito direto ao consumidor (CDC) sob a forma de “carnê”. Enquanto isso, a taxa de inadimplência do cartão de crédito lançado em conjunto com o Bradesco em 2005 oscilava entre 4% e 6%. Ou seja: a Casas Bahia se dispõe a ter uma perda duas vezes maior no seu crediário do que a permitida pelo banco, que assume o risco de crédito dos cartões, através de sua administradora.

 

Veja outras vagas da empresa aqui   

Para se candidatar a vaga acesse o site

About larissa manuela

Check Also

etalent

Etalent contrata Consultor Comercial

Etalent abre 2 vagas para  Consultor Comercial Alavancar pessoas e organizações através do Comportamento. Esta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *